Histórico

Capital do Mato Grosso, terceiro maior estado do Brasil em área, em local privilegiado onde existem matas nativas de três dos biomas do país – Amazônia, Cerrado e Pantanal –, Cuiabá foi fundada às margens do rio Caxipó e é a porta de entrada para a famosa Chapada dos Guimarães e para se conhecer as belezas naturais da região pantaneira. Muito procurada para a prática do turismo ecológico e cultural, a cidade vem merecendo destaque cada vez maior também no agronegócio.

O Aeroporto Internacional de Cuiabá – Marechal Rondon passou por reformas e ampliação ganhando inclusive duas importantes pinturas que representam as belezas do Pantanal: um índio, retratado pelo pintor Clóvis Irigaray e uma arara azul, do artista Daniel Dorileo. Os murais conferem modernidade ao aeroporto, destacando a identidade pantaneira da região.

1930

  • 1930

    Nos anos 1930, a Empresa de Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul (antiga Sindicato Condor), subsidiária da Lufthansa, operou uma linha pioneira que ligava Corumbá à Cuiabá, capital de Mato Grosso.

  • 1933

    Em 3 de maio de 1933, um pequeno avião partiu para fazer essa viagem. O momento entraria para a história como o primeiro voo comercial do país, pilotado por um brasileiro. O autor da façanha foi o comandante pernambucano Severiano Lins.

     

    Essa linha aérea foi, inicialmente, subvencionada pelo Governo Estadual e, mais tarde, transformou-se na etapa final da rota São Paulo-Três Lagoas-Campo Grande-Corumbá-Cuiabá, explorada pela mesma empresa, fazendo com que Cuiabá entrasse definitivamente para a história da aviação civil brasileira. O trecho Corumbá-Cuiabá era feito pelos hidroaviões monomotores Junkers de fabricação alemã que decolavam do rio Paraguai e pousavam no rio Cuiabá. 

  • 1938

    Em 1938 o engenheiro civil Cássio Veiga de Sá, deu início ao projeto de construção do Aeródromo de Cuiabá. O campo de aviação, localizado na atual Vila Militar, foi inaugurado em 1939 com o primeiro pouso do trimotor Junker-52 da Empresa de Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul.

1940

  • 1942

    Com a instalação do distrito de obras do então Ministério da Aeronáutica na cidade, em 1942, começaram os estudos para a construção de um novo aeroporto na capital mato-grossense. O poder executivo estadual doou ao Ministério da Aeronáutica uma área de 700 hectares para abrigar o aeroporto, localizada na região metropolitana da capital, no município de Várzea Grande.

1950

  • 1956

    A pista de pouso e decolagens foi inaugurada em 1956 e, no ano seguinte, a sede do canteiro de obras foi transformada em uma estação de passageiros que, precariamente, abrigava diversas companhias de aviação.

1960

  • 1963

    Curiosidade – Conta-se que em 1963, de passagem por Cuiabá, a então primeira-dama do Brasil, Maria Tereza Goulart, esposa do presidente João Goulart, deparando-se com as precárias condições das instalações do terminal de passageiros, solicitou ao presidente que providenciasse a construção de um terminal aéreo, digno de uma capital. Assim, em 1964, foi construído o novo terminal de passageiros que foi entregue ao público no mesmo ano.

  • 1965

    Em maio de 1965, o aeroporto ganhou o nome do desbravador e militar brasileiro de origens indígenas, Marechal Rondon. Abolicionista e republicano, Rondon explorou a região amazônica construindo 372 quilômetros de linhas e cinco estações telegráficas, desenvolvendo relações amistosas com os povos indígenas e abrindo caminhos do interior do Brasil.

1970

  • 1974

    A Infraero assumiu a administração do Aeroporto de Cuiabá – Marechal Rondon, em 1974, dando início à execução de várias obras para atender as necessidades do complexo aeroportuário.

1990

  • 1996

    No ano de 1996 o Aeroporto de Cuiabá – Marechal Rondon alcançou a categoria de internacional.

2000

  • 2006

    Um novo terminal de passageiros começou a ser construído e o pátio e a pista de pouso e decolagem passaram por importante reforma. Em 30 de junho de 2006, foi inaugurado o terminal, aumentando a capacidade de atendimento para 1 milhão de passageiros por ano.

  • 2009

    Em 2009 a Infraero modernizou o complexo aeroportuário composto por um terminal de passageiros com dois pisos, praça de alimentação, lojas, elevadores, escadas rolantes e climatização além de construir o Terminal de Carga Aérea (TECA).