As operações aéreas nos aeroportos da rede Infraero estão acontecendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário.
Orientamos aos passageiros que somente se dirijam aos aeroportos as pessoas que forem viajar.

Histórico

Considerada a “Capital Ambiental do Brasil”, Manaus recebe visitantes dos mais variados locais do mundo em busca de turismo ecológico, cultural e de negócios.

O Aeroporto de Manaus representa para a região o grande elo de integração com o resto do Brasil e do mundo, considerado uma das principais portas de entrada da Região Amazônica, em virtude da dificuldade existente nas outras vias de transporte, a terrestre e a fluvial. Para a construção do aeroporto, três aspectos relevantes foram levados em consideração: a economia amazônica, o crescente turismo regional e a segurança nacional. Para atender essas necessidades e impulsionar o desenvolvimento local, foi criado o Grupo de Trabalho do Aeroporto Internacional de Manaus (GTAIM) que concebeu o projeto de sua construção.

1960

  • 1968

    Visando o desenvolvimento e uma maior integração da região amazônica, o Ministério da Aeronáutica constituiu um grupo de trabalho para estudar e propor uma solução para que o novo Aeroporto Internacional de Manaus atendesse os requisitos de aeronaves de diferentes portes, dentro das normas estabelecidas pelas entidades internacionais reguladoras. O grupo, criado em 1968, era responsável por todos os trabalhos de coordenação relacionados ao desenvolvimento do aeroporto.

1970

  • 1972

    Em 1972 foi criada a Comissão Coordenadora do Projeto Aeroporto Internacional de Manaus (CCPAIM), organizadora e administradora de todos os trabalhos relativos ao projeto de construção do aeroporto.

     

    Após avaliação foi escolhida a área localizada nas vizinhanças do igarapé Tarumã-Açú. Em 1º de novembro de 1972, o Governo do Estado do Amazonas formalizou a doação à União de uma área de 8.025.618.3025m² de terras devolutas do patrimônio estadual, para que nela fosse construído o aeroporto.

  • 1976

    Em março de 1976, em cerimônia presidida pelo então presidente da República Ernesto Geisel, foi inaugurado o Aeroporto Internacional de Manaus – Eduardo Gomes, sob responsabilidade técnica, administrativa e operacional da Infraero. Foi o primeiro da Rede Infraero a ter pontes de embarque e todo sistema automatizado, fazendo com que se tornasse o mais moderno do país na época de sua inauguração.

     

    Curiosidade – O Aeroporto Internacional de Manaus recebeu o nome de Eduardo Gomes em homenagem ao militar, aviador e político brasileiro. Nomeado brigadeiro em 1941, foi candidato à presidência em 1945, pela União Democrática Nacional, a UDN. Para angariar fundos para sua campanha, eram vendidos docinhos de chocolate, com o slogan: “Vote no Brigadeiro!”. Eduardo Gomes foi derrotado por Eurico Gaspar Dutra, mas deu o nome ao doce vendido durante sua campanha, um dos mais famosos e presentes na vida do brasileiro: o popular e delicioso brigadeiro.

1980

  • 1985

    Para atender a demanda da aviação geral, foi construído o terminal de passageiros 2, conhecido como “Eduardinho” e inaugurado em 12 de março de 1985.

    Com o fim da Panair do Brasil, em 1964, passaram a operar neste aeroporto as empresas Cruzeiro do Sul e Paraense, com aeronaves DC-3.

2000

  • 2004

    O terceiro Terminal de Logística de Carga (TECA) foi inaugurado em 14 de dezembro de 2004, com a presença do então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, elevando a capacidade de armazenagem do aeroporto para 12 mil toneladas/mês.

2010

  • 2011

    Em novembro de 2011 foram iniciadas as obras de reforma, ampliação e modernização do Aeroporto Internacional de Manaus – Eduardo Gomes. Com as melhorias entregues, o aeroporto recebeu dois níveis operacionais, aumentando áreas de embarque, desembarque e saguão. Sua área total passou de 39,4 mil m2 para 97,25 mil m2, ampliando também a capacidade operacional de 6,4 milhões para 13,5 milhões de passageiros/ano.

     

    Obras de reforma e modernização dos Terminais de Logística de Carga (TECA) foram realizadas em 2011 e, no ano seguinte, foram implantados transelevadores automatizados destinados ao armazenamento e retirada de cargas (paletes e caixas).

  • 2015

    No dia 16 de janeiro de 2015, o Aeroporto Internacional de Manaus – Eduardo Gomes recebeu o certificado operacional concedido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O objetivo da certificação é validar a capacidade do operador do aeródromo para executar os procedimentos constantes no Manual de Operações do Aeródromo, bem como a sua organização, visando à segurança operacional no sítio aeroportuário. Com a autorização, o aeroporto pode ser utilizado regularmente por quaisquer aeronaves compatíveis com o código de referência 4E ou inferior, permitidas as operações da aeronave Boeing 747-8F.


FALE CONOSCO