As operações aéreas nos aeroportos da rede Infraero estão acontecendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário.
Orientamos aos passageiros que somente se dirijam aos aeroportos as pessoas que forem viajar.

Histórico

Situada no extremo oeste do Brasil, ao sul do estado do Mato Grosso do Sul, Ponta Porã faz fronteira com a cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai. A economia do município está voltada para a agricultura – soja, trigo e milho –, e a pecuária, mas a boa rede hoteleira da cidade e o clima temperado atraem também o turismo voltado para as compras no Paraguai e para os passeios ecológicos. Localizado a apenas quatro quilômetros do centro da cidade, o Aeroporto Internacional de Ponta Porã está habilitado para tráfego doméstico e internacional de passageiros, aviação geral e executiva e tem participação importante no crescimento da cidade e da região.

1940

  • 1941

    As atividades aéreas em Ponta Porã foram iniciadas com a fundação de um aeroclube, em setembro de 1941, no local onde atualmente está localizado o Castelinho, prédio ocupado pela Polícia Militar, em frente ao prédio da extinta Rede Ferroviária Federal. O aeroclube contava com duas aeronaves modelo Paulistinha – o CAP-4 fabricado no país pela Companhia Aeronáutica Paulista –, que atendiam à população da fronteira Brasil-Paraguai, com necessidades de transporte urgente.

1950

  • 1953

    Uma permuta feita em 1953 inverteu as localizações da Rede Ferroviária Federal (RFFSA) e do aeroclube que, em 1955, recebeu o status de aeroporto, com a administração da Aeronáutica.

1960

  • 1967

    A fim de atender o constante crescimento econômico da região que, na década de 1960, passou da atividade rural – com a exploração da erva mate em Ponta Porã e do café em Pedro Juan Caballero –, para a exploração da atividade comercial e do turismo de compras de produtos importados, em 1967 foi construído o terminal de passageiros no aeroporto.

1970

  • 1974

    Devido a sua posição estratégica, na fronteira com o Paraguai, o aeroporto de Ponta Porã passou a ser internacional em 1974.

1980

  • 1980

    A partir de 25 de outubro de 1980, a jurisdição administrativa foi transferida para a Infraero e, nesta mesma data tomou posse o primeiro superintendente do aeroporto.

1990

  • 1993

    Entre os anos de 1993 a 1996, Ponta Porã vivenciou um período de grande movimentação de passageiros, consequência do turismo de compras, motivado pela abertura da economia brasileira e pela taxa de câmbio favorável de nossa moeda frente ao dólar.

2000

  • 2009

    Curiosidade – Em janeiro de 2009 um voo da Aerolíneas Andes, com 78 passageiros e seis tripulantes, saiu de Buenos Aires com destino a Jujuy, no norte da Argentina. Depois de passar por uma forte tempestade, a aeronave sofreu uma pane no sistema de navegação e radio, fazendo com que os pilotos operassem o avião apenas com o suporte de uma bússola. Com combustível para voar por mais uma hora, os pilotos conseguiram com a ajuda do transponder, acionar o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo – Cindacta, de Curitiba, no Paraná, que os dirigiu para um pouso de emergência em Ponta Porã. Numa aterrissagem bastante difícil, mas com todos sãos e salvos, o avião desceu e contou com a infraestrutura local e segurança do pessoal de terra do Aeroporto Internacional de Ponta Porã.

2010

  • 2011

    Obras de grande relevância no aeroporto ocorreram entre 2011 e 2013, entre elas o recapeamento da pista de pouso e decolagem, a instalação de cerca operacional, a execução obra de drenagem no sítio aeroportuário e a substituição de auxílios à navegação aérea como o NDB (Non-Directional Beacon) – estação transmissora especializada, instalada numa posição geográfica fixa e precisamente conhecida –, que emite sinais de radiofrequência com um formato pré-determinado e permite a estações de rádio móveis (terrestres, aéreas ou marítimas) fazer a identificação e determinar a sua posição relativa, face ao ponto geográfico de emissão.


FALE CONOSCO