Histórico

A posição geográfica estratégica do estado do Maranhão – entre as Regiões Norte e Nordeste do Brasil e mais próximo à Europa e aos Estados Unidos, consumidores de muitos produtos brasileiros –, vem favorecendo valiosos investimentos industriais pelo grande movimento de negócios ali gerados e pelas várias empresas instaladas no local. A vocação turística do estado com suas belezas naturais e diversidade de ecossistemas é outro atrativo que propicia oportunidades de crescimento econômico sustentável e promoção da inclusão social.

Com papel crucial para a região, contribuindo para o fomento e desenvolvimento cultural e econômico do Maranhão, o Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado é a porta de entrada da capital São Luís – com seu rico centro histórico, suas festas e seu belíssimo litoral –, e de um dos locais mais cobiçados do país, os Lençóis Maranhenses, visitado por turistas do Brasil e do mundo todo, o ano inteiro.

 

1940

  • 1943

    Posteriormente, em 1943, após vários acordos entre os governos dos Estados Unidos e do Brasil, instalou-se no aeródromo uma Base Aérea Americana para servir de apoio ao Exército e à Marinha daquele país. A partir de então, observou-se a necessidade de uma infraestrutura capaz de receber todo o aparato bélico, bem como, as modernas aeronaves de combate. Para atender a nova demanda foram construídos pista de táxi e pátio da aviação geral, com pavimentação asfáltica.

  • 1946

    Com o término da Guerra, as instalações foram entregues ao Ministério da Aeronáutica, em 1946.

     

1970

  • 1974

    Em 1974, através da Portaria Nº 102/GM5 - de 23 de dezembro de 1974, a Infraero absorveu a jurisdição técnica, administrativa e operacional do aeroporto, que até então, estava sob a responsabilidade do Ministério da Aeronáutica. Com isso, o aeroporto recebeu a denominação de Aeroporto do Tirirical, em referência ao bairro em que se encontra instalado. A partir daí, ocorreram várias reformas e melhorias nas instalações aeroportuárias.

     

1980

  • 1985

    No ano de 1985, passou a se chamar Aeroporto de São Luís – Marechal Cunha Machado, em homenagem a um ilustre militar maranhense, representante do Brasil, na International Civil Aviation Organization – ICAO, também conhecida como Organização da Aviação Civil Internacional – OACI.

     

1990

  • 1998

    Em fevereiro de 1998, foi inaugurado o novo terminal de passageiros, com uma área coberta de 8.100 m2, com a capacidade para atender até um milhão passageiros por ano.

2000

  • 2004

    Por meio de Ato Declaratório, a Receita Federal do Brasil torna o Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado alfandegado, em setembro de 2004.

     

2010

  • 2011

    Em consequência das grandes chuvas de março de 2011, o terminal de passageiros do aeroporto teve sua estrutura comprometida e foi interditado pela Infraero. A medida foi adotada para a troca da cobertura do terminal de passageiros e as operações de embarque e desembarque foram realizadas normalmente sem cancelamento de voos

  • 2012

    Várias melhorias foram realizadas durante a reforma, entre elas, a duplicação da área de embarque, a ampliação da área útil da sala de desembarque, a climatização total do terminal de passageiros, além da substituição, por equipamentos mais modernos, de todas as esteiras de bagagens, balanças e balcões de check-in. O terminal de passageiros foi reinaugurado em 27 de agosto de 2012.

     

  • 2017

    Entrou em operação definitiva no dia 23 de março de 2017 a nova sala de embarque. A área tem 1.115 m², climatização, e sanitários. A nova estrutura é destinada aos embarques remotos, visando à agilidade e o conforto dos passageiros.

    A obra de ampliação do terminal compreende a instalação de quatro módulos operacionais de embarque, desembarque, check-in e check-out. Ganhando inclusive espaço para 15 novos pontos comerciais. Com os módulos, a área do terminal passou de 6,2 mil m² para 11,1 mil m², ampliando a capacidade de passageiros de 4,4 milhões de embarques e desembarques/ano para 5,9 milhões/ano. Em fevereiro deste mesmo ano, a Infraero entregou definitivamente à comunidade a sala de desembarque.

    A estrutura conta com 800 m² de área, climatização e duas novas esteiras de restituição de bagagem.