Devido às medidas de segurança no combate a COVID-19, recomendamos chegar ao aeroporto
com antecedência mínima de 1h30 para voos domésticos e 3h para voos internacionais.


MEDIDAS DE PROTEÇÃO ADOTADAS CONTRA A COVID-19, CONFORME DEFINIÇÃO DA ANVISA 

Diante da pandemia da Covid-19, a Infraero esclarece que a operação dos 48 terminais sob administração da empresa está ocorrendo normalmente e a oferta de voos está seguindo a malha aérea definida pelas empresas aéreas e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Dessa forma, a Infraero recomenda que se dirijam aos aeroportos apenas aquelas pessoas que precisam viajar de avião. Nos terminais, os viajantes encontrarão uma estrutura ajustada às medidas sanitárias determinadas pela Agência Nacional de Vigilancia Sanitária (Anvisa) para que todas as atividades ocorram com os cuidados que o combate ao coronavírus exige.

CONFIRA O PERGUNTAS E RESPOSTAS DA ANVISA CLICANDO AQUI.

Entre as medidas estão:

- Cumprimento das determinações das autoridades sanitárias sobre o Uso correto de máscara por passageiros e pessoas em circulação nas áreas públicas do aeroporto (saguão e balcões de check-in), bem como nas áreas de embarque e desembarque; além do uso de equipamentos de proteção individual (EPI) por empregados da Infraero ou outras pessoas que trabalhem nos aeroportos da empresa;

- Divulgação de instruções de higiene, proteção e distanciamento social em sistema de som, painéis informativos de voos, cartazes, adesivos distribuídos nas áreas de embarque e desembarque de passageiros; áreas operacionais e administrativas dos aeroportos; bem como nos banheiros, estacionamentos e áreas de espera dos transportes públicos; além de conteúdos no site, redes sociais institucionais e demais meios aplicáveis à Rede Infraero para prevenir e combater a Covid-19;

- Recomendação de uso dos canais digitais para realização de check-in e geração do cartão de embarque (aplicativos das empresas aéreas ou web check-in) para evitar o manuseio de papel;

- Comparecimento com 1h30 de antecedência mínima ao aeroporto para voos domésticos e, pelo menos, com 3h antes de viagens internacionais;

- Recomendação de, se possível, usar cartões de crédito ou smartphones para pagamento de compras em lojas, restaurantes, lanchonete e serviços no aeroporto;

AÇÕES DA INFRAERO PARA PREVENIR O CORONAVÍRUS

- Em cumprimento à Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 2, de janeiro de 2003, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Infraero implementou as medidas em seus aeroportos e demais unidades de negócio, orientando o atendimento à solicitação do órgão, feita no dia 24/3, de adotar as medidas sanitárias restritivas de acordo com as legislações estaduais e municipais de cada aeroporto. A Infraero também está reforçando as orientações e sinalizações nos aeroportos para evitar aglomerações, principalmente, nos pontos de alimentação, dispondo mesas e cadeiras com distância segura entre as pessoas.

- Monitoramento frequente da disponibilidade de álcool em gel, sabonete líquido e papel toalha em todos os seus aeroportos, além de reforçar a limpeza e a desinfecção de toda a área de movimentação de passageiros, pontes de embarque, ônibus de embarque e desembarque e demais espaços de uso comum;

- Divulgação de orientações sobre a manutenção do distanciamento entre as pessoas no aeroporto – com sinalização por meio de adesivos de mesa, piso e assentos, especialmente em locais como check-in, canais de inspeção, salas, portões e pontes de embarque, esteiras de bagagem, áreas de alimentação, entre outros locais com fluxo de passageiros;

- Orientação aos concessionários comerciais a fim de se evitar aglomerações em lojas, restaurantes e lanchonetes, bem como monitorar o cumprimento das legislações, municipais ou estaduais, em vigor quanto ao horário de funcionamentos dos estabelecimentos;

- Organização, junto com as empresas aéreas, de espaçamento entre os passageiros nos embarques e desembarques de passageiros, seja em fingers ou em procedimentos remotos (ônibus ou a pé).

- Conscientização dos passageiros, comunidade aeroportuária e demais frequentadores dos aeroportos sobre a obediência às orientações das autoridades sanitárias.

REMARCAÇÃO OU CANCELAMENTOS DE VOOS

Para informações sobre remarcações e cancelamentos de voos, a orientação é que o passageiro faça contato direto com as empresas aéreas. Em caso de dúvidas sobre os principais direitos e deveres dos passageiros, consulte o Guia do Passageiro. O mesmo vale para a imprensa. As companhias aéreas é que estabelecem o fluxo de cancelamentos e alterações na malha, não cabendo à Infraero essa gestão.

Abaixo seguem as principais companhias que operam na Rede Infraero:

Latam
Gol
Azul
Voepass
American Airlines (em inglês)
Aerolíneas Argentinas (em espanhol)
Lan Chile (Grupo Latam)
Tap
Copa Airlines
Jet Smart

Outras orientações sobre o transporte aéreo também estão disponíveis no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

TRABALHO INTEGRADO

A Infraero é uma das integrantes do sistema de aviação civil brasileiro. A empresa opera 48 aeroportos em todo o País. É nesse sistema que ocorre o trabalho integrado dos seguintes órgãos públicos que atuam no sistema:

1- Agência Nacional de Aviação Civil (Anac): agência reguladora vinculada ao Ministério da Infraestrutura. Cabe a ela regular e fiscalizar as atividades da aviação civil e a infraestrutura aeronáutica e aeroportuária no Brasil, observadas as orientações, políticas e diretrizes do Governo Federal.

2- Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): responsável pela proteção da saúde da população, por intermédio do controle sanitário da produção e consumo de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária, inclusive dos ambientes, dos processos, dos insumos e das tecnologias a eles relacionados, bem como o controle de aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados.

3- Departamento de Polícia Federal (DPF): órgão tem entre as suas funções as atividades de polícia aeroportuária e de fronteiras, por meio do controle de imigração e segurança em áreas restritas de aeroportos.

4- Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea): vinculado ao Comando da Aeronáutica, é o responsável pelo Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro, além de planejar, gerenciar e controlar as atividades relacionadas ao monitoramento do espaço aéreo, à proteção ao voo, ao serviço de busca e salvamento e às telecomunicações do Comando da Aeronáutica.

5- Receita Federal (RFB): realiza a fiscalização aduaneira nos aeroportos para prevenir e combater a sonegação fiscal, contrabando, pirataria, fraude comercial, tráfico de drogas e de animais em extinção, além de outros atos ilícitos no campo do comércio internacional. Também auxilia na elaboração da política tributária brasileira.

6- Vigilância Agropecuária (Vigiagro): sistema vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que realiza o controle e fiscalização agropecuária de animais, vegetais, insumos, inclusive alimentos para animais; produtos de origem animal e vegetal, entre outros, que estejam em trânsito internacional pelo Brasil.



FALE CONOSCO