As operações aéreas nos aeroportos da rede Infraero estão acontecendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário.
Orientamos aos passageiros que somente se dirijam aos aeroportos as pessoas que forem viajar.
10/04/2017 em Aeroporto de Londrina - Governador José Richa

Aeroporto de Londrina faz 61 anos e terá obras retomadas

      O Aeroporto de Londrina/Governador José Richa completou 61 anos neste sábado (8/4). Para comemorar a data, a Infraero emite nesta segunda-feira (10/4) a Ordem de Serviço para a retomada das obras da nova sala de embarque, com prazo de conclusão para julho de 2017. Além disso, no dia 6 de março, foi retomada a obra da nova Administração do Aeroporto e das instalações da Sala Radar, que tem prazo de conclusão em setembro de 2017. O valor desses investimentos é de R$ 7,2 milhões.

      O Aeroporto de Londrina foi inaugurado em 8 de abril de 1956, mas sua história teve início em 1949, quando foi erguida uma casa de madeira no local onde hoje funciona o atual terminal de passageiros, na zona Leste da cidade. Nesse período, a região Norte do Paraná se desenvolvia aceleradamente em virtude do avanço do café no interior do país.

      Por esse motivo, o Aeroporto de Londrina foi, até o ano de 1962, o terceiro mais movimentado do país, atrás apenas de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ). A cidade recebia diversos empresários de São Paulo, que dispunham apenas do transporte aéreo para chegar à cidade, pois as rodovias eram precárias. Era comum a existência de voos para cidades não muito distantes, como Maringá, Apucarana, Arapongas e Jacarezinho.

      Até o início das obras da grande reforma em 2000, que ampliou o terminal de passageiros, possibilitando a instalação de novas lojas e áreas operacionais, trazendo mais conforto aos usuários e passageiros, o aeroporto manteve os seus traços básicos, na exceção de alguns reparos.

      Atualmente, o sítio aeroportuário de Londrina tem 727 mil m², e o terminal de passageiros, 5.820 m², com capacidade para receber 2,6 milhões de usuários por ano. Os passageiros que utilizam o local encontram mix comercial variado, com lanchonetes, restaurante, choperia, chocolateria, delicatessen, lojas de malas e bolsas, souvenirs, revistaria, serviço de proteção de bagagem, locadoras de veículos, agências de turismo, cosméticos artesanais, serviço de caixas eletrônicos e estacionamento de veículos.

      Para o superintendente do aeroporto, Sanzio Renato Teixeira da Silva, o terminal cumpre papel fundamental no desenvolvimento da região. “Por ser uma cidade distante do litoral, o aeroporto torna-se um provedor do desenvolvimento regional”, destacou.

      Atualmente, três companhias aéreas (Azul, Gol e Latam) operam voos que ligam Londrina a cinco destinos nacionais - São Paulo, Curitiba, Cuiabá, Florianópolis, Brasília - e muitos outros através de conexões.

Foto aérea do terminal de passageiros do Aeroporto de Londrina.
   Acessibilidade

      O Aeroporto Governador José Richa também conta com o sistema ELO. São três conectores climatizados que fazem a interligação dos embarques e desembarques com as aeronaves. Com 100% de tecnologia nacional, a ferramenta, se diferencia das pontes de embarque (fingers) por estabelecer uma ligação com a aeronave a partir de uma passarela em solo que apresenta duas opções para chegar à porta do avião: por escada ou por um elevador, com capacidade para 225 kg, para uso de cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida.

      A tecnologia segue o conceito de sustentabilidade e, de acordo com os princípios da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, é adequada a aeronaves como o Boeing 737-800 e o Airbus 320, comumente utilizadas pelas companhias aéreas brasileiras, nos quais a porta de desembarque fica a uma distância de 2,5 metros a 3,5 metros do solo.

      Além do terminal paranaense, o sistema ELO está presente nos aeroportos de Palmas (TO), Porto Alegre (RS) e Joinville (SC).

   Receitas comerciais e novos negócios

      No ano passado, o Aeroporto de Londrina registrou R$ 6,9 milhões em receitas comerciais. Esse valor é resultado de concessões de áreas para empreendedores de diversos segmentos, como alimentação, varejo, locação de veículos, estacionamento, mídias e ações promocionais.

      Atualmente, o terminal dispõe de 28 pontos comerciais. Destes, 20 estão ocupados, restando 8 pontos disponíveis para novos negócios.

      A novidade deste ano é o aluguel do auditório do aeroporto para eventos externos. O espaço tem 148 m² de área, ambiente climatizado e capacidade para até 100 pessoas.


   Assessoria de Imprensa - Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   www.twitter.com/InfraeroBrasil
   www.facebook.com/InfraeroBrasil
   www.instagram.com/InfraeroBrasil

FALE CONOSCO