As operações aéreas nos aeroportos da rede Infraero estão acontecendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário.
Orientamos aos passageiros que somente se dirijam aos aeroportos as pessoas que forem viajar.
13/03/2017 em Aeroporto Internacional de Macapá - Alberto Alcolumbre

Aeroporto Internacional de Macapá comemora 38 anos

      O Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre, em Macapá (AP) completou 38 anos sob a administração da Infraero no último domingo, 12/3. Para comemorar mais um aniversário, a estatal distribuiu brindes aos passageiros que desembarcaram no terminal da capital amapaense.

      Para a superintendente do aeroporto, Keyla Paula de Moraes, a localização do terminal, a 3 km do centro da cidade, possibilita novas oportunidades de negócios para o estado do Amapá, principalmente para a indústria, o comércio e o turismo, com foco nas relações com a América Central, América do Norte e Europa. “Nesse sentido, o Aeroporto Alberto Alcolumbre tem papel fundamental e estratégico, facilitando o transporte de passageiros e cargas, integrando as regiões e colaborando para o desenvolvimento do estado e do país”, pontuou.

      Em 2016, o aeroporto movimentou 563.448 passageiros, entre operações de embarque e desembarque.

      O nome do terminal é uma homenagem ao empresário e comerciante de Macapá, Alberto Alcolumbre, conhecido pela solidariedade oferecida ao próximo, pela dedicação ao trabalho e pela prática dos ensinamentos judaicos.

Para a superintendente do aeroporto, Keyla Paula de Moraes, a localização do terminal, a 3 km do centro da cidade, possibilita novas oportunidades de negócios para o estado do Amapá.

Histórico

      A história do Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre começou a ser escrita na década de 1930, durante a Segunda Guerra, quando o governo dos Estados Unidos buscou composição com o Brasil para construção de bases aéreas militares. Alguns anos mais tarde, em 1943, na época do antigo Território Federal do Amapá, o então governador Pauxi Nunes convidou o coronel Belarmino Bravo, da Força Aérea Boliviana, para fundar o Aeroclube de Macapá, para desenvolver, basicamente, atividades sociais e recreativas.

      Com a instalação do Serviço de Aeronáutica (Saer), em 1953, composto por um hangar, um avião Bonanza Beechcraft A36 e um campo de pouso, a sistematização de frequência de voos ficou consolidada. O avião foi adquirido com o objetivo de atender com mais rapidez a cobertura dos serviços administrativos do governo e, ao mesmo tempo, auxiliar a população no transporte de medicamentos para o interior ou de pessoas doentes para Belém do Pará.

      No ano de 1956 foi criado, no Aeroclube do Macapá, o curso de piloto de aeronaves; dois anos depois, em 1958, ocorreu a transferência das atividades aeroportuárias do campo de pouso, então existente na Avenida FAB, para a atual base do Aeroporto Internacional de Macapá.

      A partir de fevereiro de 1979, o Aeroporto Internacional de Macapá passa a ser administrado pela Infraero. Desde então, várias melhorias foram realizadas, como a troca do piso e do forro, além da reforma de sanitários do terminal de passageiros, assim como a construção de módulos operacionais para as salas de embarque e desembarque, a revitalização da fachada e a ampliação do terminal de passageiros e do pátio de aeronaves.


   Assessoria de Imprensa - Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   www.twitter.com/InfraeroBrasil
   www.facebook.com.br/InfraeroBrasil

FALE CONOSCO