14/11/2016 em Aeroporto Internacional de Belém - Val-de-Cans - Júlio Cezar Ribeiro

Belém recebe etapa final do Grand Prix Infraero de Judô para Cegos de 2016

      A cidade de Belém (PA) recebeu a etapa final do Grand Prix Infraero de Judô para Cegos no ginásio do Sesi. Ao todo, 165 atletas, sendo pelo menos 50 deles oriundos do Pará, participaram das disputas. O Aeroporto Internacional de Belém/Val-de-Cans – Júlio Cezar Ribeiro recebeu os judocas que disputaram a competição.

      O evento foi promovido pela Infraero, patrocinadora oficial do judô paraolímpico, pela Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV), e organizado em parceria com a Associação de Cegos do Pará (Ascepa), Associação Souza Filho de Artes Marciais (Asfam) e Federação Paraense de Judô (Fepaju). As lutas ocorreram neste sábado (12/11).

      A cidade de Belém recebeu 31 equipes de 14 estados diferentes, mais o Distrito Federal, para a disputa. O evento contou com uma categoria adulta, com 13 divisões de peso – sete no masculino e seis no feminino – e uma categoria iniciante, onde muitos atletas são revelados todos os anos.

      Na abertura do evento Francisco Ferreira, superintendente em exercício do Aeroporto de Belém, destacou a importância do evento para a Infraero e para os atletas participantes do Grand Prix. “É uma honra participar desse importante evento, até porque a Infraero, na condição de patrocinadora, é constituída por pessoas, que têm sentimentos, têm emoções. Vocês nos emocionam muito. Desejamos muito sucesso a todos”, afirmou Ferreira.

      “A Infraero está com o judô paraolímpico já há muito tempo. Esse patrocínio possibilitou mais treinamento. Consegui fazer dois Grand Prix no ano e o resultado de tudo isso foi o fomento do judô paraolímpico. A gente tem mais equipe. Isso tudo porque a gente tem uma empresa que acredita em nós. Tudo isso proporcionou um treinamento mais forte, uma equipe de base em são Paulo e o resultado disso foram as medalhas, foram as premiações. É você acreditar que tem uma empresa que te apoia”, destacou Lúcia Teixeira, judoca paraolímpica vencedora da medalha de prata nos Jogos Rio 2016.

      Por sua vez, Sandro Laina, presidente da CBDV, destacou o esforço comunitário para o apoio à categoria. “Vocês são os responsáveis pelas conquistas que hoje alcançamos. Tudo fruto do trabalho de toda a comunidade. O esporte paraolímpico tem que estar em todo o Brasil, e o Pará é um estado que sempre revela novos atletas para a seleção brasileira. Agradeço a Infraero e levem um abraço de todos do judô para cegos do Brasil para o presidente dessa grande empresa que nos apoia”, concluiu.

Uma das equipes de atletas e técnicos do judô para cegos que competiram no Grand Prix posa para foto no Aeroporto Val-de-Cans.

   A Infraero e o judô paraolímpico

      A Infraero patrocina oficialmente o judô olímpico e o judô para cegos no Brasil, apoiando a Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV) desde 2010. Os recursos do patrocínio são utilizados para a preparação permanente da Seleção Brasileira, participação em mundiais e a realização de competições nacionais.


   Assessoria de Imprensa - Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   www.twitter.com/InfraeroBrasil
   www.facebook.com/InfraeroBrasil
   www.instagram.com/InfraeroBrasil