As operações aéreas nos aeroportos da rede Infraero estão acontecendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário.
Orientamos aos passageiros que somente se dirijam aos aeroportos as pessoas que forem viajar.
05/09/2020 em Aeroporto de São Paulo/Congonhas - Deputado Freitas Nobre

Infraero conclui obra na pista principal de Congonhas e libera pousos e decolagens

A pista principal do Aeroporto de Congonhas voltou a receber pousos e decolagens neste domingo (6/9) após conclusão das obras rigorosamente executadas no prazo de 32 dias conforme planejado. A primeira operação da pista foi a chegada do voo 3009, da Latam, vindo de Confins e que pousou às 10h05.

Com a reforma do pavimento, a Infraero entrega ao aeroporto uma pista ainda mais segura, com mais capacidade de drenagem (rápido escoamento da água de chuva) e maior aderência para os pneus das aeronaves. Durante o período de trabalho, foram feitas a fresagem do revestimento asfáltico antigo, a execução de camada estrutural de concreto asfáltico (CBUQ) com grooving na região das cabeceiras; e aplicação de camada superficial porosa de atrito (CPA), bem como a sinalização horizontal. Ao todo, R$ 11,5 milhões foram investidos na nova pista.

Todas essas atividades exigiram um trabalho coordenado, que contou com duas usinas de asfalto para atender a obra, sendo 4,4 mil m³ de CBUQ e 1,8 mil m³ de CPA. Esses materiais foram manejados por 120 caminhões, quatro vibro acabadoras (equipamento de pavimentação); três fresadoras de asfalto, um equipamento de grooving e 30 torres de iluminação, que permitiram que os 180 profissionais trabalhassem em três turnos, executando a obra, dentro do cronograma, nos 1.940 metros de comprimento da pista.

“A equipe de Engenharia e Operações da Infraero demonstrou sua capacidade de fazer uma grande obra no segundo maior aeroporto do País em número de passageiros. Isso mostra a capacidade que a empresa tem para conceber e executar projetos em aeroportos complexos como Congonhas e Santos Dumont ou em terminais de menor porte, como os que atendem a aviação regional”, avalia o presidente da empresa, Brigadeiro Paes de Barros.

Sem parar
Durante o período que a pista principal esteve em obras, Congonhas seguiu recebendo pousos e decolagens na pista auxiliar com aeronaves como o ATR-72 e Caravan, conforme condições estabelecidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em conjunto com o aeroporto, empresas aéreas e Decea. “Esse alinhamento permitiu que Congonhas seguisse aberto, ligando São Paulo às cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Ribeirão Preto, garantindo conectividade à capital paulista”, afirma o superintendente do aeroporto, João Márcio Jordão.

Além disso, aeronaves de porte maior, como Boeing 737 e Airbus 320, puderam ter em Congonhas um estacionamento, já que a pista auxiliar pôde receber voos de traslado (sem passageiros), o que permitiu que a adequação das malhas das empresas fosse feita sem maiores interferências.

Período das obras
A decisão de manter as obras entre os meses de agosto e setembro também levou em consideração a baixa incidência de chuvas na capital paulista durante o período dos trabalhos. “A Infraero usou sua expertise nesse tipo de obra e, com o trabalho alinhado e coordenado, concluiu a reforma com tranquilidade, assim como na reforma da pista do Santos Dumont no ano passado”, afirma o superintendente de Engenharia da Infraero, Giuliano Capucho.

O bom andamento dos trabalhos contou também com a contribuição das companhias aéreas, Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG) e demais entes públicos relacionados, como Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), Secretaria de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura e Agência Nacional de Aviação Civil, que desde o início do ano participaram ativamente do planejamento de cada etapa das obras.


Assessoria de Imprensa – Infraero
imprensa@infraero.gov.br
Twitter: @infraero
Facebook: Infraero Aeroportos
Instagram: @infraeroaeroportos
Linkedin: Infraero Brasil

FALE CONOSCO