23/03/2017 em Aeroporto do Rio de Janeiro - Santos Dumont

Santos Dumont é exemplo de gestão de recursos hídricos no Dia Mundial da Água

      De acordo com dados das Organizações Unidas (ONU), cerca de um bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso a abastecimento adequado. Pensando nesse contexto, todo dia 22 de março é celebrado o Dia Mundial da Água, quando se enfatiza o consumo consciente da mesma. Para contribuir com a gestão racional e sustentável dos recursos hídricos, a Infraero no Santos Dumont, por meio de sua Gerência de Manutenção, desenvolve diversas ações que visam à economia de água no aeroporto.

      A mais importante dessas ações é o projeto de captação e uso de água das chuvas. O telhado do aeroporto carioca, por exemplo, é um imenso coletor de água, com quase 10 mil m² de área e capacidade de 1 milhão de litros, quantidade suficiente para suprir a demanda dos banheiros do aeroporto durante 37 dias.

      Desde que o sistema foi implantado, em 2009, o aeroporto já deixou de comprar água tratada para a limpeza de mictórios e vasos sanitários. “São 57 mil litros de água por dia. E essa economia é suficiente para abastecer, por exemplo, 440 famílias, por dia, com consumo médio de 120 litros de água”, explicou o gerente de Manutenção do Santos Dumont, André Bittencourt da Cruz.

Imagem de equipamentos para tratamento e reuso da água no Santos Dumont.
      Outra iniciativa com bons resultados nos esforços para a redução do consumo de água foi a instalação de oito mictórios ecológicos nos sanitários da área pública do terminal de desembarque. Eles são assim chamados porque não necessitam de água para seu funcionamento.

      Mais recentemente, em outubro de 2016, foi lançado um novo projeto que também tem auxiliado significativamente na gestão do uso de água nos sanitários: redutores de vazão de água. São pequenas peças de plástico, chamadas de dispersores, colocadas nas torneiras. Com elas, a economia no consumo é de aproximadamente 80% na vazão de água de cada torneira.

      “A instalação dos redutores de vazão nas torneiras, mais o conjunto de outras medidas já em prática, geram ótimos resultados. Na medida em que reduzimos nossos gastos, sem impactar nos processos operacionais, e ainda contribuindo para o meio ambiente, tornamo-nos mais eficientes e garantimos a sustentabilidade do negócio ao longo do tempo”, afirmou o superintendente do Santos Dumont, Alexandre Oliveira da Silva.


   Assessoria de Imprensa - Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   www.twitter.com/InfraeroBrasil
   www.facebook.com/InfraeroBrasil
   www.instagram.com/InfraeroBrasil