As operações aéreas nos aeroportos da rede Infraero estão acontecendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário.
Orientamos aos passageiros que somente se dirijam aos aeroportos as pessoas que forem viajar.

METEOROLOGIA AERONÁUTICA

METEOROLOGIA AERONÁUTICA

O tempo e o clima nos ajudam a definir todas as ações do nosso dia a dia. Utilizamos as dicas da meteorologia para nos vestir, para plantar, colher, passear e planejar a maioria de nossas atividades. Com as informações corretas é possível decidir o que fazer e aproveitar as intervenções positivas ou suavizar os impactos negativos.

Com a aviação não é diferente. Para garantir a segurança de um voo, é essencial ter conhecimento profundo da situação do tempo. Uma série de fenômenos meteorológicos afeta diretamente a estabilidade dos voos, como rajadas de vento, nevoeiros, trovoadas, tempestades e turbulências.

A Infraero oferece o Serviço de Meteorologia Aeronáutica, disponível nos aeroportos para atendimento à aviação, e dispõe de produtos e serviços destinados ao público em geral, fornecendo informações sobre as condições de tempo presente e passado, detalhes da previsão de tempo futuro, laudos meteorológicos e análises, e , ainda, trabalhos climatológicos elaborados por meio de estatísticas de séries históricas de dados.

Para mais informações sobre a contratação de serviços e valores, deve ser acessado o link http://www.infraero.gov.br/sopmweb/

Serviços Infraero: presentes nas decisões mais importantes

A Meteorologia Aeronáutica, enquanto serviço essencial para a segurança das operações, oferece aos pilotos e às empresas aéreas informações decorrentes da observação, vigilância e previsão meteorológicas.

A partir dessas informações é possível avaliar se o voo sofrerá qualquer tipo de risco ou interferência em função das condições do tempo e do clima. Para a realização desse serviço, a Infraero conta com profissionais, equipamentos de ponta e órgãos operacionais visando todo o processo.

As Estações Meteorológicas de Superfície (EMS) coletam dados representativos das condições meteorológicas no aeroporto e sua vizinhança, dentro de um raio de 16 quilômetros. São equipadas com sensores automáticos e fornecem informações essenciais para o pouso e a decolagem das aeronaves. Essas informações compreendem direção e velocidade do vento, visibilidade, fenômenos de tempo como chuva e nevoeiro, quantidade e altura da base das nuvens, temperaturas do ar e do ponto de orvalho e pressão atmosférica para a aviação.

Os Centros Meteorológicos de Aeródromo (CMA) são encarregados de elaborar e divulgar previsões e mensagens meteorológicas, auxiliar pilotos no planejamento dos voos, apoiar outros órgãos da Navegação Aérea, como Torre de Controle (TWR) e Sala de Informações Aeronáuticas (Sala AIS), na execução das suas atribuições operacionais, além de alertar a administração do aeroporto quanto à possibilidade de ocorrência de fenômenos meteorológicos que possam prejudicar o funcionamento do aeroporto ou causar inconvenientes aos seus usuários.

Já as Estações Meteorológicas de Altitude (EMA) são responsáveis pela coleta de dados meteorológicos em altitude, como diz o nome, ou seja, no sentido vertical, em diversas camadas da atmosfera. Essa coleta é realizada por meio de um balão cheio de gás hidrogênio ou hélio, no qual se encontra ancorada uma radiossonda dotada de sensores e um sistema GPS capaz de precisar leituras de vento, temperatura e pressão em altitude. Esse processo de coleta, que normalmente ocorre entre a superfície e 20 quilômetros de altitude, é importante para conhecimento dos fenômenos meteorológicos que ocorrem nas rotas das aeronaves.



FALE CONOSCO