Histórico

A localização privilegiada, próxima ao centro da cidade de Curitiba, e a facilidade de deslocamento para o interior do estado do Paraná, aproxima a aviação executiva do Aeroporto de Bacacheri, em especial pela agilidade nas operações de pousos e decolagens. Aos finais de semana o aeroporto é visitado por muitas famílias que se divertem conhecendo o local. Anualmente acontece no aeroporto o show aéreo da Esquadrilha da Fumaça que encanta a todos com suas fantásticas acrobacias pelos céus da cidade.

1930

  • 1930

    No início da década de 1930, a aviação militar encontrou no bairro Bacacheri um excelente local para desenvolver suas atividades.

    Dois anos mais tarde, o Correio Aéreo Nacional passava a utilizar suas instalações. No mesmo ano, 1932, as dependências do Colégio Agrícola Estadual – com uma pista de pouso e decolagem –, passaram à jurisdição do Ministério da Aeronáutica e do Aeroclube do Paraná, e com suas operações locais passou a treinar e capacitar profissionais para o mercado brasileiro e internacional.

1980

  • 1980

    Em 31 de Março de 1980, o Ministério da Aeronáutica, com o intuito de incentivar o desenvolvimento do aeroporto, transferiu a jurisdição do Bacacheri para a Infraero. Logo depois, foram construídos pátio de manobras, taxiways e o terminal de passageiros.

1990

  • 1990

    Várias empresas aéreas nacionais passaram a operar no Bacacheri, que estava em pleno desenvolvimento. Com a inauguração do Aeroporto Internacional Afonso Pena, e visando maior conforto aos usuários, em 1997, a Infraero transferiu a aviação regional para aquele aeroporto, ficando o Aeroporto de Bacacheri com atendimento exclusivo às aeronaves executivas e Viação Geral.

2010

  • 2010

    Em março de 2012 a Infraero inaugurou novo prédio para acomodar todo o departamento administrativo e reformou a estrutura da navegação aérea, que passou a contar com meteorologia e sala AIS (Serviços de Informação Aeronáutica), onde todas as informações necessárias para garantir a segurança de um voo são reunidas, coletadas, trabalhadas e disponibilizadas.